MySpace and Orkut Borboletas Glitter Graphic - 8

ELEMENTAIS

Seres como Duendes, Fadas e Efós povoam histórias e lendas de diversas regiões do planeta. Sem dúvida encontraremos criaturas similares não apenas na aparência, mas também nas impressões que transmitem ao homem. O Yeti, por exemplo, famoso monstro que habita as montanhas do Tibet, encontra seu parente na figura americana do Pé Grande, e ambos têm sua versão européia representada pelo Barbegazi (corruptela do francês de Barbes Glacées - ou barbas geladas), encontrado nos Alpes. Duende, em suas mais variadas versões, é outro ser que povoa o folclore mundial; o Saci Pererê brasileiro, o Leprechaun irlandês, o Brownie escocês, os Djins orientais, os Kilykais da Nova Guiné e uma infinidade de outros seres de incrível semelhança vêm provar que toda lenda têm um fundo de verdade. Analisando tantas histórias que remontam de uma época onde não havia meios de transporte ou de comunicação que possibilitassem o intercâmbio cultural e justificassem essas similaridades, autorizamo-nos a acreditar na realidade desse folclore ou, ao menos, em parte dele.

É claro que para explicar a existência de tantas criaturas mágicas, era preciso situá-las num contexto coerente. Assim, desde os tempos mais remotos, foram criadas diversas teorias sobre suas origens. Na versão escandinava, quando Odin matou o gigante Imer, milhares de pequenas lagartas saíram de seu corpo, das crisálias em que se transformaram saíram homenzinhos minúsculos, estes seriam os precursores do reino elemental. Os Celtas chamavam seus duendes de Sidhe e acreditavam que eles viviam num mundo intermediário, uma espécie de paraíso terreno, de onde saíram para ensinar aos seus protegidos, como bruxos e druidas, os grandes mistérios da natureza.

A tradição islâmica chama os espíritos travessos de Djins e afirma que eles foram criados por Alá a partir do fogo, sendo os intermediários entre os homens e os anjos. Os Djins, segundo a tradição, ajudavam os sábios e adivinhos a prever o futuro. Para tanto, subiam até a ante-sala do céu, de onde espionavam a conversa dos anjos a respeito do que estava por acontecer. Isso coincide com a antiga receita cigana de prever o futuro com uma bola de cristal. Há quem diga que o responsável pelo elo entre os mundos é o gnomo ou ser elemental que habita na pedra. Suposições?

O mundo em que vivemos reúne os reinos vegetal, mineral, animal e humano. Toda a matéria, todo corpo denso se encontra dentro desta realidade que chamamos de plano material ou terceira dimensão. Acima deste plano, no entanto, existem outros mais sutis, tão sutis que nosso poder de visão, cristalizado no mundo material, não alcança sua vibração. Por isso, tais planos se tornam invisíveis aos nossos olhos, a não ser para aqueles que possuam algum poder de clarividência.

São nesses mundos superiores que se encontram os elementais, seres feitos de pura energia, por isso chamados de espíritos da natureza. Seriam estes seres os responsáveis por passar para o mundo físico, ou seja, plantas, flores, pedras, animais, etc., toda a energia necessária para que tudo possa crescer, viver e permanecer. Seriam uma espécie de condutores de vida, que trazem a energia de cima ou planos superiores até nosso mundo, e é essa "liga" entre o mundo atômico e dévico (energia) que possibilita a construção das formas de tudo que existe.

Para interagir assim no nosso mundo, os elementais descem até a quarta dimensão, ou seja, o mundo etérico, por onde podem circular em suas formas mais densas e alojarem-se no duplo etérico das flores, plantas e todas as formas vivas. é assim que o elo é formado e a energia pode ser transmitida.

Mesmo que não possamos vê-los, os duendes, fadas e demais seres mágicos sempre estarão perto de nós, seja numa árvore, jardim ou planta que temos dentro de casa. Não é novidade que as plantas crescem e se desenvolvem melhor se forem tratadas com carinho e atenção. Muita gente, mesmo quem nunca ouviu falar de elementais, concorda que o trabalho com a terra é uma excelente terapia. Esses seres são capazes, através das vibrações que emanam, de nos transmitir sua alegria e bem estar, afinal sentem-se bem quando estamos em harmonia com a natureza, uma obra de sua autoria.

Os seres mágicos sempre estão prontos para colaborar conosco; são capazes de executar tarefas mágicas, abrir caminhos, trazer a harmonia e nos conduzir através de muitos sinais.

O universo destes seres é encantado e seus benefícios, ilimitados. Para usufruir disso tudo, porém, é preciso antes de mais nada, acreditar, é claro, dedicar à natureza, em todas as suas formas, carinho, afeição e principalmente, muito respeito. Depois é com cada um, os caminhos existem por todos os lados, só não encontra quem não sabe procurá-los com os olhos do coração.
 

Histórias de elementais

Para o célebre alquimista medieval Paracelso, da mesma maneira que a natureza visível é habitada por um número infinito de seres, a contraparte invisível e espiritual da natureza é habitada por uma hoste de seres peculiares - aos quais ele deu o nome de elementais e que posteriormente foram chamados espíritos da natureza. elementais são misto de espírito e matéria Paracelso dividiu essa população dos elementos em quatro grupos distintos: gnomos, ondinas, silfos e salamandras. Ele pensava que fossem criaturas realmente vivas, muito semelhantes ao ser humano na forma, e que habitavam seus próprios mundos, invisíveis para nós porque os sentidos subdesenvolvidos dos homens eram incapazes de funcionar para além das limitações dos elementos mais densos.

De acordo com Paracelso, os elementais não seriam nem criaturas espirituais nem materiais, embora compostos de uma substância que pode ser chamada de éter. Em suma, esses seres ocupariam um lugar entre os homens e os espíritos. Por essa razão também não seriam imortais, mas quando morressem simplesmente se desintegrariam, voltando ao elemento do qual originalmente tinham se individualizado. Segundo ele, os elementais compostos do éter terrestre são os que vivem menos; os do ar, os que vivem mais. A duração média de vida fica entre os 300 e os mil anos. Supõe-se que tais criaturas sejam incapazes de desenvolvimento espiritual, mas algumas delas são de elevado caráter moral.

Para a Escola Teosófica, entretanto, os elementais seguiriam uma escala de evolução até se tornarem anjos. “Começam no elemento mais próximo do homem até chegar em um nível mais próximo de Deus”, explica especialistas e estudiosos, especializados em elementais.

As civilizações da Grécia, de Roma, do Egito, da China e da Índia acreditavam implicitamente em sátiros, espíritos e duendes. Elas povoavam o mar com sereias, os rios e as fontes com ninfas, o ar com fadas, o fogo com lares e penates, a terra com faunos, dríades e hamadríades. Esses espíritos da natureza eram tidos em alta conta, e a eles eram dedicadas oferendas. Ocasionalmente, dependendo das condições atmosféricas ou da sensibilidade do devoto, eles se tornam visíveis. Bom número de autoridades é de opinião que muitos dos deuses cultuados pelos pagãos eram na verdade esses habitantes dos reinos mais sutis da natureza, pois acreditava-se que muitos desses invisíveis eram de estatura imponente e maneiras majestosas. Os gregos chamavam alguns desses elementais de daemon, especialmente os das ordens mais altas, e os cultuavam.

De acordo com o angelólogo Eduardo Farias, os elementais seriam uma forma inferior de anjos. “À sua maneira, eles são anjos também. São chamados anjos da terra, da água, do fogo e do ar, os quatro elementos sutis que constituem o universo”.

Assim como os anjos das hierarquias mais altas, os elementais canalizam a energia do Criador, a tensão divina que faz o mundo existir. Assim como vivemos sob a cúpula de luz do anjo da guarda, que representa a tomada que nos liga ao resto do universo e ao Criador que nos dá existência, os anjos dos elementos retransmitiriam essa energia divina para um mineral, vegetal ou animal.“O objetivo deles é passar a energia necessária para tudo que é do mundo físico poder evoluir, e é assim que eles também evoluem. Quando uma planta cresce, a gente não questiona que poderia existir um ser mágico ajudando-a a crescer”.,

Sábio é aquele que se esforça para purificar seu próprio mundo e para fazer amizade com os Seres da Natureza, derramando Amor, Gratidão e Bênçãos sobre aqueles que delicada e incessantemente servirão a humanidade, se ela desejar proteção em tempo de crise (Serapis Bey)

O Reino Elemental está na base da corrente evolutiva da Terra e trabalha em estreita colaboração com o reino dévico que, sob certos aspectos intermedeia o seu relacionamento com todo a vida planetária. O éter está intimamente ligado a esse reino, que se constitui de forças inerentes à substância mesma dos níveis de consciência e por isso está presente em todo o cosmos , nas diferentes etapas da sua manifestação, embora tenha maior relevo nas fases de materialização, no arco descendente do processo evolutivo. Quando estimuladas para o cumprimento das tarefas, essas forças tomam a forma de seres. Devido à atual densidade da terra, a humanidade pouco sabe a respeito desse reino, apesar de ter alguma notícia acerca dos elementais da terra, da água, do fogo e do ar. No ciclo vindouro lhe será dado maior conhecimento sobre ele.  ELEMENTAIS -  Forças das substância-vida dos planos de existência do universo. Esses seres elementais são gerados dos elementos da Natureza: terra, água, fogo, ar e éter, mas quanto mais próximos dos mundos abstratos, de modo mais límpido refletem o que lhes é imanente.

Deus, por interferência amorosa de Seres de Luz que trabalham de forma a unificar os universos em nome do Amor Divino, concedeu a três Reinos, paralelamente, a oportunidade de evolução. Estes três Reinos são: Elemental, Angélico e Humano.
Elementais são os dinamizadores das energias das formas na Natureza.
O Reino elemental aprende a controlar a energia através do pensamento, mantendo um determinado padrão ou molde/matriz.

  MySpace and Orkut Borboletas Glitter Graphic - 8

MySpace and Orkut Borboletas Glitter Graphic - 8

Os elementais evoluem desde os seres microscópios a Construtores das formas. Eles exteriorizam toda forma, incluindo os corpos humanos, montanhas, rios, etc.; eventualmente alcançam o estado de um poderoso Elohim ou uma Veladora Silenciosa.

Os seres dos Elementos foram criados para servir à humanidade, através de seu próprio trabalho específico. É pelo esforço e pelo uso de sua vida que esses seres nos suprem com as vestes de carne que usamos, com a água que bebemos, com o alimento tão abundantemente fornecido; com o ar que respiramos e com todas as coisas de que necessitamos para sustentar-nos na Terra. O Plano Divino de Vida providencia para que o homem seja servido com AMOR e, em troca, retorne AMOR, GRATIDÃO e BÊNÇÃOS aos Seres Elementais.

São os pensamentos e sentimentos ruinosos da própria humanidade os causadores de todas as expressões destruidoras apresentadas por esses elementais em forma de furacões, vendavais, ressacas, terremotos. Todas as avalanches da Natureza são, meramente, uma tentativa dos seres elementais de projetar PARA FORA, a impureza e discórdia que o homem tem imposto ou depositado sobre eles, esses abnegados seres que vos vem servindo por milhões de séculos.
A matéria usada, que é depositada dentro da terra e das águas, a energia impura que se espalha no ar, causam uma pressão de criações humanas, não somente no próprio homem, como também no Reino Elemental.

Em geral esses entes são desfeitos ao concluírem sua tarefa, mas alguns subsistem até que, por não estarem vivificados pelo impulso que os criou, se “dissolvam” em sua substância  de origem. Há seres elementais constituídos artificialmente pelo homem (encarnado ou não), ou por outras entidades autoconscientes, por meio da força do pensamento ou do desejo. Chegam a atuar no plano físico-etérico, às vezes interferindo positiva ou negativamente no trabalho dos devas. Essas criações do psiquismo humano serão dissolvidas pela lei da purificação e, no próximo ciclo planetário, os membros desta humanidade, por estarem em contacto com a própria mônada, poderão colaborar de modo mais efetivo com o Plano Evolutivo. A maior parte dos seres elementais com que o homem se relacionou até hoje foram os da terra e os da água. Estes respondem a estímulos do plano astral, ao passo que os do ar e do fogo tem maior sintonia com a energia elétrica mental. Como os seres elementais são corporificações da substâncias dos mundos das formas, estão sujeitos a impulsos evolutivos, devido às forças caóticas profundamente infiltradas nos planos materiais na presente fase da Terra. Sua participação em trabalhos de magia engendrados pelo homem evidencia esse fato. A elevação da consciência humana dissipará as ilusões que em grande parte tem caracterizado o seu contacto com os elementais. Assim, o relacionamento com esses seres, ainda misteriosos para a maioria, advirá do conhecimento espiritual e perderá a conotação fantasiosa e em certos casos utilitarista que lhe foi atribuída. As leis que ordenam as combinações de átomos e moléculas são reflexos das que regem as inter-relações das forças elementais. Uma das implicações negativas das experiências com energia atômica empreendidas pela ciência moderna é o desequilíbrio do reino elemental, base da manifestação deste universo planetário. Todavia, em geral, os que insistem nessas ações destruidoras consideram a vida dinâmica e pulsante do reino elemental produto da imaginação. O contacto consciente da humanidade futura com os elementais deve dar-se por intermédio do reino dévico, e não diretamente. 

A história nos conta sobre esses seres, desde a mais remota antiguidade. E, os antepassados de toda a humanidade legaram inúmeros relatos a respeito dos mesmos.
No início, nos primórdios da humanidade, os seres da natureza, encarregados de cada elemento, cuidaram para que tudo fosse feito com exatidão e ordem:

a)- A terra ainda numa massa de gases de matéria incandescente radioativa, coube aos elementais do fogo executarem seu trabalho;

b)- Na época dos grandes ventos, os elementais do ar, zelaram pela evolução desses gases de modo a tornar o ambiente apto a receber formas de vida:

c)- Quando esses gases se precipitaram sobre a água, os elementais da água modificaram o aspecto denso desse líquido;

d)- Então, iniciou-se a solidificação, surgindo aos poucos os continentes que foram fertilizados pelos elementais da terra.

Como vemos, a criação representa um todo inseparável, formando uma corrente cujos elos não podem ser rompidos, se não quisermos provocar uma catástrofe de caráter irremediável.

[ssdsds.jpg]

 OS ELEMENTARES DA NATUREZA

O reino dos elementais compreende uma imensa quantidade de formas e tipos, cada um deles com uma função específica, que varia de acordo com o elemento a que pertencem. Os gnomos ajudam no crescimento das plantas e todas as formas de vida ligadas ao elemento Terra, as ondinas reinam sobre as águas; os silfos dominam os ventos e as nuvens; e as salamandras conferem ao fogo seu poder de criação e destruição. No decorrer deste tema, você vai conhecer um pouco mais de perto esses seres mágicos e saber como eles tocam sua música na grande orquestra do universo.

O grande percurso do estudo dos elementais no Ocidente foi um mago da Idade Média, cujos conhecimentos eram tão extensos quanto seu próprio nome: Theophrastus Bombastus Von Hohenheim ou, simplesmente, Paracelso. Foi ele quem dividiu os elementais em quatro grupos, relacionados aos quatro elementos da natureza descritos acima.

OS ELEMENTARES II

O nome Elemental significa “Espírito Divino”. El=senhor; mental=vibração mental superior. Estes são os espíritos da natureza.

Deus, por interferência amorosa de Seres de Luz, concedeu a três Reinos, paralelamente, a oportunidade de evolução. Estes três Reinos são: Elemental, Angelical e Humano.

A história nos conta sobre os seres elementais, desde a mais remota antiguidade. E, os antepassados de toda a humanidade legaram inúmeros relatos a respeito dos mesmos.

No início da humanidade na Terra, os seres da natureza, encarregados de cada elemento, cuidaram para que tudo fosse feito com exatidão e ordem:

1)- A Terra ainda numa massa de gases de matéria incandescente radioativa, coube aos elementais do fogo executarem seu trabalho;

2)- Na época dos grandes ventos, os elementais do ar, zelaram pela evolução desses gases de modo a tornar o ambiente apto a receber formas de vida:

3)- Quando esses gases se precipitaram sobre a água, os elementais da água modificaram o aspecto denso desse líquido;

4)- Então, iniciou-se a solidificação, surgindo aos poucos os continentes que foram fertilizados pelos elementais da terra.

A criação representa um todo inseparável, uma corrente cujos elos não podem ser rompidos.

Os Elementais são os dinamizadores das energias das formas e integram-se aos Elementos da Natureza:

 

Elemento Terra: Esse elemento e seus dinamizadores trabalham para que a humanidade tenha corpos perfeitos, e possam desenvolver suas atividades espirituais a nível cósmico.

A ação qualificadora destes seres é representada por vulcões e terremotos.

No nosso corpo, este elemento é representado pelos sais minerais.

Livres da ganância nos aproximamos dos Seres da Terra.

Trabalhando com a terra temos: Gnomo, Duende, Fada, Dríade, Elfo, Pã, Flor do Campo (c. florz.), Curupira, Saci.

Dirigentes do Elemento Terra: Pelleur e Virgo.

Elemento Água: Este elemento e os seres que fazem parte dele, estão relacionados ao nosso corpo Emocional, tendo a função de depurá-lo. No plano físico, são grandes agentes de purificação da atmosfera e principalmente na agricultura.

Sua ação qualificadora é demonstrada em enchentes, maremotos etc.

No corpo humano, o elemento líquido representa 70% do seu volume.

Livres das fraquezas, através da firmeza, nos aproximamos dos Seres da Água.

Trabalhando com a água temos: Ondina, Nereida, Sereia, Naiade (Grécia), Uiara, Mãe D’água.

Dirigentes do Elemento Água: Netuno e Lunara.

Elemento Fogo: Esse elemento, e todos os seres que habitam o mesmo, representam a maior força possível, uma vez que são a expressão do próprio Fogo Sagrado de onde provém as várias chamas atuantes nos universos.

A ação qualificadora deste elemento provém das atividades vulcânicas e grandes queimadas.

No corpo humano, esse elemento funciona através da temperatura, expressões emotivas e psíquicas.

Dominando as paixões, o ser humano aproxima-se desses seres.

Trabalhando com o fogo temos: Salamandra, Njami (Sibéria), Ucha (Índia) Boitatá.

Dirigentes do Elemento Fogo: Hélios e Vesta. (Força Criadora).

Elemento Ar: Esse elemento e seus dinamizadores, são de extrema importância para a manutenção da vida no plano físico. Sem o Ar, o ser humano não pode sobreviver.

A atividade benéfica dos Seres do Ar é sentida na brisa, no impulso dos barcos, navios e aviões.

Sua atividade qualificadora está nos furacões, ciclones, tempestades.

No corpo do homem o ar está na respiração, no alento divino.

Com a constância, o homem aproxima-se dos seres do ar.

Trabalhando com o ar temos: Silfo, Sílfide, Íris (Grécia), Indra (Índia), Bórea (Grécia).

Dirigentes do Elemento Ar: Thor e Áries.

EVOLUÇÃOMySpace and Orkut Fairy Glitter Graphic - 5

A escalada da evolução, parte dos pequenos elementais da terra seguindo até os dirigentes de grandes extensões e compreensão, chamados Devas e Elohim.

Elohim: São os dirigentes do Reino, ponto alto da Hierarquia Elemental. Trabalham junto aos Mestres Ascensionados e Arcanjos. São doadores do modelo divino para formação dos espaços materiais.

Deva: Palavra sânscrita que significa “Ser Brilhante”. São encarregados da dinamização de grandes áreas como: mares, florestas, cadeias de montanhas, grandes árvores, tendo a seu encargo a instrução de seres menores no trabalho da natureza.

Veladores Silenciosos: Estes seres cuidam da proteção energética de Planetas, Sistemas, Universos, Galáxias. São encarregados também da recepção dos apelos dos seres humanos, energizando-os e elevando-os ao Pai, recolocando-os qualificados e atendidos diretamente ao alcance da humanidade.

MySpace and Orkut Fairy Glitter Graphic - 4A INVISIBILIDADES DESSES SERESMySpace and Orkut Fairy Glitter Graphic - 3

Os materialistas, não acreditam na existência dos Seres da Natureza alegando não serem visíveis.

A invisibilidades desses seres é explicada pelo fato de serem formas etéreas, habitantes de planos energéticos com múltiplas graduações, não perceptíveis aos olhos humanos.

Muitas observações mostram que os Elementais usam duas formas distintas:

 O Corpo Astral Permanente.

 Um veículo etéreo materializado Temporariamente.

As ações resultantes do seu trabalho, sim, são visíveis.

Como exemplo, podemos citar a Comunidade de Findhorn (Escócia). Num local totalmente impróprio para a agricultura, fizeram surgir, com sua orientação, flores, verduras, árvores frutíferas etc.

Na ocasião (1962),este fato chamou atenção das autoridades governamentais do país, que mandaram examinar o local.

Nos exames foi constatada ausência de qualquer ingrediente químico e que a terra havia sido enriquecida de forma natural e inteligente.

Participemos junto aos Elementais na evolução do Planeta Terra. Assim teremos efetuado nosso papel como co-criadores universais.

MySpace and Orkut Fairy Glitter Graphic - 8FAMÍLIA CÓSMICAMySpace and Orkut Fairy Glitter Graphic - 1

Temos uma família cósmica que nos acompanha na caminhada da Evolução.

Vamos hoje, fazer uma aliança de intenções para que nos ajudem a manter a saúde em nossos corpos, para nos manter saudáveis e conectados com nossa divindade interna.

Sintonizando o Reino dos Elementais

Condições ideais para contatar os Elementais:

1) Com base nas condições climáticas, podemos ser ajudados no contato:

Terra / Água = Junho, Julho, Agosto (Primavera).

Água / Ar = Março, Abril, Maio (Inverno).

Ar / Fogo = Dezembro, Janeiro, Fevereiro (Outono).

Fogo / Terra = Setembro, Outubro, Novembro (Verão).

2) Tendo como base o signo e o nome:

Elemento

 

Vogal

Signo

Elemental

Fogo

I

Áries / Leão / Sagitário

Salamandra

Terra

U

Touro / Capricórnio / Virgem

Gnomo

Ar

E

Gêmeos / Libra / Aquário

Silfo

Água

O

Câncer / Escorpião / Peixes

Ondina

Éter

A

O éter é a substância de onde emanam todos os elementos da criação, elementais e signos

 

MySpace and Orkut Borboletas Glitter Graphic - 4FILHOS DA TERRA

Estes terão de encarar o desafio de enfrentar os estímulos energéticos do mundo ao redor.

É importante revigorar a conexão com a energia do gnomo pessoal andando descalço no barro ou grama. Passar algum tempo junto a plantas e árvores.

São ligados ao Arcanjo Uriel. O Rei do Elemento é Ghob. O Elohim é Tranquilitas (O Guerreiro que marcha). 6º Raio – Rubi / Devoção-Paz.

FILHOS DA ÁGUAMySpace and Orkut Borboletas Glitter Graphic - 1

Nestes predomina o intenso envolvimento emocional.

Necessitam da aproximidade com a água. A imersão total é o ideal, pois fortalece a ondina pessoal, uma vez que a água é sua força equilibradora.

São ligados ao Arcanjo Gabriel. O Rei do Elemento é Niksa. O Elohim é Claire (A Harmonia x Conflito = crescimento). 4º Raio – Branco / Ascensão-Pureza.

MySpace and Orkut Borboletas Glitter Graphic - 1FILHOS DO AR

Nestes predomina a ordem mental e o envolvimento social.

Para recarregar o elemento primordial e fortalecer o silfo pessoal, precisam de ar puro e eletricamente carregado.

Topos de montanha, locais afastados da umidade, onde o ar é seco e vivificante, é muito bom para reconectá-los.

São ligados ao Arcanjo Rafael. O Rei do Elemento é Paralda. O Elohim é Vista (O que protege o segredo). 5º Raio – Verde / Verdade-Cura.

FILHOS DO FOGO MySpace and Orkut Borboletas Glitter Graphic - 7

As pessoas do fogo necessitam de muito sol e atividades vigorosas para realimentar seus veículos.

Necessitam passar bastante tempo ao ar livre. Os lugares onde o sol brilha com força e intensidade são essenciais a sua saúde e ligação com a salamandra pessoal, bem como com os demais elementos.

São ligados ao Arcanjo Miguel. O Rei do Elemento é Djinn. O Elohim é Hércules (O que abre portas). 1º Raio – Azul / Vontade-Poder.

“Se queremos um mundo melhor, temos de começar a pensar sério sobre o que é que cada um de nós precisa SER e FAZER para que isso aconteça”.

"A Natureza, a Terra, o Universo são nossos grandes iniciadores. É neles que devemos buscar auxílio para que possamos abrir nossos olhos e ver o que esteve diante de nós desde sempre." (Scott Cunningham, Magia Natural)

Separamos para esta seção alguns feitiços de magia elemental, extraídos do livro Magia Natural, de Scott Cunningham. São feitiços feitos com os elementos mais antigos e fáceis de ser encontrados: Fogo, Terra, Ar e Água.
Simples e poderosos, os encantamentos aqui dispostos o ajudarão a utilizar as forças da natureza a seu favor.

TERRA
Ponto Cardeal: Norte
Elemental: Gnomo
Cor: Verde, Marrom, Preto
Instrumento mágico: Pantáculo
Aroma: benjoim, canela, incenso
Materiais associados: Pedras, Terra, Ervas, Metais, Sal
Propriedades: prosperidade, riqueza, negócios, abundância, realização

Para alguns, o elemento Terra é aquele ao qual o homem está mais adaptado.Afinal de contas, a Terra é nossa morada, nosso corpo é material e em boa parte de nosso dia-a-dia estamos em contato com este elemento e suas propriedades.
TERRA
Ao trabalhar com a Terra, devemos pedir concentração, prosperidade,
abundância. Quando consagramos um instrumento, devemos passá-lo na Terra antes de qualquer outro elemento, para simbolizando sua criação, uma vez que a Terra constrói, dá forma e edifica.

AR

Ponto cardeal: Leste
Elemental Regente: Silfo
Cor: Amarelo e branco
Instrumento mágico: Athame
Aroma: olíbano, hortelã, lavanda e alfazema
Materiais associados: sabedoria, aprendizado,viagens e comunicação
Propriedades: cura, fertilidade, sonhos, intuição e amor

O Ar é o elemento da comunicação. Sem dúvida quanto à sua grande importância pelo fato de termos de respirar para viver, podemos nos lembrar que o Ar também se faz importante em nossas vidas por ser o transmissor dos sons, dos aromas e das vibrações. Ao trabalhar com este elemento, devemos pedir sabedoria, discernimento; podemos pedir para entrar em contato com pessoas distantes, pedindo-lhe que "leve" nossos anseios, nossas palavras e nossos pensamentos.

FOGO
Ponto cardial:Sul
Elemental Regente: Salamandra
Cor: vermelho, Laranja
Instrumento Mágico: Bastão, Castiçal com vela acesa
Aroma: Sândalo, Laranja
Materiais associados: Velas, tochas
Propriedades: energia, amor, purificação, espiritualidade, cura

Quando analisamos canções e cultos dos povos antigos, podemos encontrar um grande número de evocações e homenagens ao fogo. Isso ocorre, sem dúvida,porque, de todos os elementos, o Fogo é aquele com o qual o homem não tem contato diário, como a terra ou o ar, além de ter sido aquele que mudou a vida do homem primitivo. Pense: sem o fogo, o mundo com certeza seria frio e escuro. O Fogo fascina: pode destruir, mas pode também acalentar, cozinhar,aquecer,iluminar. Tudo isso se soubermos trabalhá-lo na medida certa.Quando trabalhamos com este elemento, devemos pedir purificação, paixão, amor,espiritualidade e transformação.

ÁGUA
Ponto cardeal: Oeste
Elemental Regente: Sereias
Cor: Azul, Prata
Instrumento mágico: Cálice
Aroma: Rosas, Artemísia
Propriedades: cura, fertilidade, sonhos, intuição, amor
Materiais associados: essências, óleos, água

O elemento Água é o elemento das emoções. É necessidade vital para o corpo e para o espírito. Das águas do útero materno viemos, e sem dúvida, ali começamos nossos primeiros contatos do mundo sentimental. A água mexe com nosso subconsciente, fazendo-nos ter visões. Ouvindo seu murmúrio, nos lembramos de lugares e sensações distantes e por vezes desconhecidas, e relaxamos ao som do canto de seus rios.Quando trabalhamos com a água,devemos pedir intuição, equilíbrio, calma, emoções e amor.

MySpace and Orkut Borboletas Glitter Graphic - 5

"Os Quatro Elementos"

"A ÁGUA"

Nos mares, nos rios, nas corredeiras, nas cachoeiras, nas nossas veias... correm fluídos de vida e de força. A Água é a Senhora das emoções. Através dela todo nosso corpo libera os medos, as tristezas e as alegrias. Ela é responsável por purificar os corpos e é também o sêmen do homem quando cai sobre a terra fertilizando-a . A água é a força escorrendo pela terra... e por nossos corpos. Sem ela não sobreviveremos, sem ela não teremos vida. Os estudos esotéricos identificam um Ser que habita as águas e promove suas bênçãos para o Universo. Os elementais da água são as Ondinas. Os Xamãs utilizam a água em rituais de purificação e renovação do ser interior. Os lugares mais adequados são os fluxos naturais de água, pois guardam a força viva da natureza em si

"FOGO"

No Sol, nas estrelas, nas fogueiras ou nas brasas, no nosso coração... sentimos a luz da vida. O fogo é o elemento das transmutações, da transformações. Sua força luminosa indica o caminho que deve ser seguido por aquele que conhece os ensinamentos do Universo. O fogo é a chama que, acesa dentro de nós, faz brilhar nossa aura e nossos olhos, revelando a força de nosso espírito. Ele conduz-nos à sabedoria interior de cada um. Os Xamãs pedem ajuda ao Avô Fogo, como é chamado pelos índios, quando é hora de trabalhar as mudanças. O fogo auxilia no processo de limpeza também, o velho cedendo lugar ao novo. A Sauna Sagrada é um dos lugares usados, pelos Xamãs, nos processos de cura pelo fogo. Os elementares do fogo são as Salamandras.

"AR"

Nos ventos, nas brisas, na nossa respiração... sentimos o sopro de vida vindo do Universo. O ar é um fio condutor que nos une ao Grande Pai e a Grande Mãe. Ao nascer, nós iniciamos este ritual da respiração: inspirar e expirar, onde a vida e a morte se encontram continuamente, ensinando-nos a lição mais importante no ato de viver que é compreender a própria morte como parte inseparável da vida. Os Xamãs pedem ajuda ao ar, quando é preciso reaprender a respirar, a viver. O ar auxilia o curador quando alguém precisa muito se dar conta da sua vida (encarnação) e da sua morte (transmutação), do inspirar (ganhar vida) e do expirar (doar vida). Os elementares do ar são os Silfos

"TERRA"

Nos campos, nas florestas, nas montanhas, no nosso corpo... sentimos a força da Mãe Terra. Nela reside a força que nos nutre e alimenta para a vida. A terra possui tudo que o homem precisa para viver e é neste ensinamento, muito simples, que os Xamãs descobriram onde residem suas riquezas... é na terra, é no nosso corpo, Templo Sagrado, lugar onde reside também o nosso ser superior, nossa consciência do cosmo. A terra é solicitada nos rituais onde é necessário buscar a força da vida, da encarnação. O homem vive, muitas vezes, fugindo de seus fantasmas e dos seus abismos e por isso não consegue viver plenamente sua vida. Os Xamãs, nos processos de cura, buscam a ajuda da terra para curar aquele ser "doente", sem vida, apático, sem estímulos para viver ou simplesmente alheio ao mundo que o cerca. O Xamanismo busca essencialmente o encontro do homem com o seu propósito na vida e assim o despertar para algo além do mundo material. Os elementais da terra são os Gnomos.

A Natureza, a Terra, o Universo são nossos grandes iniciadores. É neles que devemos buscar auxílio para que possamos abrir nossos olhos e ver o que
     esteve diante de nós desde sempre." (Scott Cunningham, Magia Natural)

        Cada árvore, cada pedra, cada pequena erva na natureza   tem     poder um mágico que poder ser moldado e conduzido, de acordo com nossos desejos. Quando
   realizamos um ritual ou encantamento e colocamos nele elementos cujas energias estejam de acordo com nosso desejo, estamos carregando nossas  intenções com os poderes que a Natureza oferece e nos ensina em sua linguagem particular. Por isso, resolvemos relacionar,
   nesta seção, as propriedades de ervas, árvores e pedras. 


MySpace and Orkut Fairy Glitter Graphic - 1
OS ¬¨7¨¬ RAIOS DAS PLANTAS

A Magia Elemental, ou ELEMENTOTERAPIA, é a antiqüíssima ciência que versa acerca dos Elementais e a manipulação de seus poderes ocultos e mágicos. Os antigos índios americanos, os alquimistas medievais, os taoistas e xintoistas e os cabalistas árabes(Ordem Súfi dos Zuhrawardi) e hebreus não desconheciam esta Magna Ciência.

O grande Mestre Paracelso sistematizou e classificou os elementares de uma forma extremamente didática e sintética, de acordo com a sagrada Lei Cósmica do Sete (Heptaparaparshinokh). O sistema médico e mágico de Paracelso é baseado nas forças astrais que regem toda a natureza, representadas pelos sete planetas sagrados: LUA, MERCÚRIO, VÊNUS, SOL, MARTE, JÚPITER e SATURNO. Tais vibrações centenárias refletem-se em nosso Sistema Solar de diversas maneiras(cores do arco-íris, dias da semana, sub-níveis das camadas eletrônicas, notas musicais, sentidos paranormais, anatomia oculta do etc...). vão-se isto na fisiologia e anatomia dos seres vegetais e animais também nas configurações química e cromática, no reino mineral.

De acordo com as classificações de Paracelso, pode-se distribuir diversos seres elementais de acordo com os ¬12¬ signos zodiacais e também de acordo com os planetas astrológicos. Existem também outras classificações, como as da árvore sefirótica e suas múltiplas dimensões planos.

Entregaremos uma Tabela dos minerais, metais, vegetais e animais, ligados a um dos sete Raios Planetários. Isso é útil quando o mago-praticante necessita produzir resultados específicos, no aspecto curativo, mental, sexual, mágico, da defesa e limpeza psíquicas etc.

Raio Lunar

Características lunares: elementais aquáticos(ondinas e nereidas); pode- trabalhar com viagens, artes manuais, respeitar a Ordem da natureza, romancistas, negócios de líquidos, enfermidades do estômago, cérebro, pulmões, maternidade e parto, educação de crianças com até ¬7¬ anos de idade, inconstâncias, agricultura, iniciação, preparação mágica de ambientes e pessoas para trabalhos espirituais.

Seres lunares: plantas aquáticas em geral, eucalipto, oliveira(azeite, azeitonas), dama da noite, saia branca(Datura arbórea- floripôndio), estramônio(Datura stramonium L.),feto macho e samambaias em geral, cânfora(Laurus Camphora L.), caqui, abacateiro, acelga, alface, agrião, aranto(Vaccinium myrtillus L.), guaco, aipo, berinjela,erva mate, aspargos, bálsamo, beldroega, bananeira, fuscia, urtiga do bom pastor, betônica, venturosa; (minerais) amônia, prata, platina; (animais) peixes em geral, caranguejos, sapos e rã, tartarugas, marsupiais em geral etc.; cores: prateado e azul celeste.

Raio Mercuriano

Características mercurianas: são silfos do ar, possuem influência dupla, solar-mercuriana; magia mental, comunicação, amizade, jornalismo, divulgação intelecto, cura mental, viagens, viagem astral, mente e personalidade de crianças entre 7 e 14 anos etc.

Seres mercurianos: (plantas) canela, avelã, guaraná, aniz estrela, tabaco, coca, aniz, cânhamo; (animais) esquilo, cavalo; (metais) mercúrio etc.; cores: amarelo e laranja.

Raio Venusiano

Características venusianas: são silfos do ar, são duplamente influenciados, por Vênus-Lua; magia do amor e magia sexual; raio rosa, amor, artes, romances e namoro, ímpeto sexual e fertilidade, artes plásticas, perfumes, poesia, artes dramáticas, sexualidade feminina, adolescência(entre 14 anos e 21 anos), matrimônio, música etc.

Seres venusianos: (plantas) rosa, passiflora, verbena, margarida, maria-sem-vergonha, cravo, violeta, uvas, trigo, groselha, morango, goiaba, murta; (animais) abelhas, pombos, coelhos, cisnes; (minerais) quartzo rosa etc.; cores: azul e rosa.

Raio Solar

Características solares: silfos do ar; raios azul e dourado, teologia, rituais, antigas sabedorias, magia das estrelas, contato com altos dignatários e hierarquias, posição social, dignidade, fé e humildade, saúde em geral etc.

Seres solares: (plantas) girassol, abacaxi, ameixeira, damiana, mangueira, marcela, alface, olíbano(incenso), mulungu(Erictrina mulungu L.), mostarda, milho, benjoim, pfaffia paniculata, louro, camomila, estoraque, dente de leão, lírio, grama, maracujá; (animais) leão, galo, beija-flor, pavão real, águias e falcões; (minerais) ouro, cristal, diamante, pirita etc.; cores: azul e dourado.

Raio Marciano

Características marcianas: salamandras ígneas; raios púrpura e vermelho, assuntos com a polícia e militares, discussões, desentendimentos e pelejas, cirurgia(sangue), força, limpeza astral, anemia, paz, ímpeto e início de empreitadas etc.

Seres marcianos: (plantas) Espada-de-são-jorge, manjericão, alecrim, arruda, pimenteiras, acácia, assafétida, Artemísia, aroeira, alho, boldo, carqueja, cáscara sagrada, carvalho, mogno, figueira, absinto (losna), nogueira, salsaparrilha, olmo, sarça, zimbro (Juniperus communis L.), tanchagem, tomateiro, cardo-santo, Jacarandá Mimoso (Gualandai), cana-de-açúcar, cana-de-bambu, limoeiro, urtiga, mamona, cavalinha, pau- d'alho, paineira; (animais) lobo, carneiro, gato; (metais) ferro e ímã-ferroso, hematita etc.

Raio Jupiteriano

Características jupiterianas: silfos do ar, também com características saturnianas; raios safira, púrpura e azul marinho; assuntos ligados a dinheiro, lucratividades, contatos com altos dignatários e juízes, vitória em tribunais, eloqüência, autoridades eclesiásticas etc.;

Seres jupiterianos: (plantas) todas os vegetais semelhantes a coroa, tais como a pita (Agave americana marginata), babosa (Aloés vera L.), aloés (Aloés socotrina L.), heliotropo (Viburnum prunifolium L.); (minerais) estanho, safira etc.; (animais) cavalos, zebras, gnus, burros, asnos etc.

Raio Saturniano

Características saturnianas: gnomos da terra; cores branca, preta e cinza; assuntos ligados a questões de terra, ecologia, agronomia, doenças de pele, minas, terremotos, depressões, desejos de suicídio, karmas a serem resgatados, trabalho e desemprego etc.;

Seres saturnianos: (plantas) melissa, hortelã-pimenta, pinheiros, cipreste, quaresmeira, salgueiro-chorão(Salix alba L.), bardana, inhame, cenouras, batatas e outros tubérculos, ipê, laranjeira, romãzeira, jabuticabeira; (animais) urubus, abutres, tatus e toupeiras, hienas, aranhas, minhocas, borboletas e mariposas; (minerais) ônix, chumbo, urânio e outros radiativos, ágata, magnetita, rochas vulcânicas etc.

 

MySpace and Orkut Fairy Glitter Graphic - 1Espíritos da Natureza e elementais

Os fluidos naturais conseguem assumir uma forma sensível, quase uma personalidade, demonstrando as aparências de uma intelectualidade rudimentar.

Se existem outras forças superiores a esses fluídos e comparáveis (mas não análogas) às forças puramente físicas, temos o direito de supor que elas são suscetíveis a estados morfológicos, onde se manifestam, se não realmente intelectuais, pelo menos inteligenciadas.

Para o magista, o vocábulo "espírito" era sinônimo de "inteligência".

Os elementais dos cabalistas e os elementares por eles considerados superiores aos precedentes nivelavam-se na categoria de "espíritos", isto é, de sopros (segundo o latim spiritus e o grego pneuma) e, melhor dizendo, manifestações de fluídos, semelhantes ao vento, que se pode sentir, mas não é visto.

Os "espíritos" dos espíritas têm o mesmo caráter, fisicamente, porém a sua inteligência parece tal, que é atribuída a um ser humano, e, como este permanece despercebido, é porque desapareceu, está morto nada mais lógico.

Os elementais e os espíritos foram catalogados sob uma profusão de denominações, entre as quais não se pode operar uma classificação válida.

Tudo aquilo que leva o nome genérico de elemental ou de espírito representa uma personificação das forças do mundo da ação (Aziah), que é o mais inferior do esquema cabalístico.

Os elementais (o plural elementares também é aceito) são em geral considerados ocmo dependendo diretamente da matéria ou dos estados da matéria - estando compreendidas as energias físicas, tais como a eletricidade, o vento, as forças do calor, as resultantes das combinações químicas e também o fogo, a força da gravidade, etc., em resumo, tudo aquilo de que se ocupam a física e a química.

Todo elemental é uma energia elementar, mas nem toda energia elementar é um elemental. Por exemplo a contraparte etérica das pessoas que realizam a passagem, os chamados kama-rupas, são energias elementares quer irão, inclusive, desintegrar-se, mas não são elementais. Os elementais originam-se dos elementos da natureza (energias superiores da criação utilizadas pelos 72 gênios da natureza) que são os da terra, os gnomos, os das águas, as ondinas, os do ar, os silfos e do fogo as salamandras.

A superstição se juntou às derivações e deformações da magia, neste sentido, impedindo que se identifique algo mais além de uma grande confusão com o passar do tempo tradições mudaram um elemental transformando-se em espírito e vice-versa.

Por isso o mundo terrestre da ação se encontra povoado por ninfas, dríades, oréades, epimelíades e agríadas na Grécia - fadas, duendes, elfos, gnomes e toda espécie de espíritos (como dizem os ingleses) na Europa ocidental - os vampiros, lêmures e fantasmas, como afirmavam os romanos - de dragões e tifões para os chineses - ou de ojins para os árabes.

Quando se pretendeu colocar um pouco de ordem nessa multidão variegada, segundo os espíritos da Kabbalah, ficou convencida que estes elementais e espíritos eriam categorizados.


MySpace and Orkut Fairy Glitter Graphic - 5

               os da terra

Gnomos

               os da água

Ondinas

               os do ar

Silfos

               os do fogo

Salamandras


Tal classificação corresponde à dos quatro princípios ditos elementares. Os mesmos são cardinais sobre uma circunferência (dividida em quatro partes iguais) por oposição diametral da Terra à Água e do Ar ao Fogo. Assim as salamandras e ondinas se tornaram femininas e os gnomos e silfos masculinos. Isso nada ordenou, mas permitiu que, aparentemente, ficasse conforme a chave geral da Kabbalah, que é o quaternário da palavra divina.

Estes princípios cardinais, no entanto eram elementares por essência posto que cada um se refere ao que os antigos denominavam um elemento. Assim houve a impulsão de distinguir-se os elementares dos elementais e foi convencionado que um elemental possuía caráter inferior, em relação a um elementar - posto que este concordava mais intimamente com um princípio.

De qualquer modo, não se pôde fazer melhor e pareceu impossível estabelecer a conexão de uns e outros ao mecanismo cabalístico dos gênios e decanos, sobretudo dos Haioth-Hakodesh.

A magia estava deformada, apesar de tudo, e a feitiçaria se encarregou de aumentar a confusão, aparentando várias destas inofensivas personificações com diabos extremamente perversos.

MySpace and Orkut Fairy Glitter Graphic - 2Diferença entre Espíritos da Natureza e Elementais

Os que pertencem ao nível de espíritos da natureza manifestam normalmente "personalidade", e os elementais apresentam mais uma "característica". Por exemplo, numa família pode existir uma determinada característica ou aspecto que todos membros da família possuem - uma tendência para a calvície, ser magro, ter nariz afilado, etc. Cada pessoa nessa família, porém, terá uma personalidade única, apesar das características comum.

Os elementais são como os blocos construtores da natureza. Estão muito perto de serem verdadeira energia e consciência. Quando estamos em contacto com eles, estimulam fortes respostas em nós. Aprender a trabalhar com os elementais é uma forma de nos harmonizarmos com todas as energias e seres da natureza.

Os elementais são quadridimensionais. Não têm nada a obstruir-lhes os movimentos. Por isso, movimentam-se tão facilmente através da matéria como nós através do ar. Necessitam de algum contacto com os humanos para a sua própria evolução. Para os ajudar e dirigir há um supervisor, tradicionalmente chamado o rei do elemento. Os arcanjos supervisionam as atividades dos reis e cada rei supervisiona as atividades de um grupo de elementais e espíritos da natureza. Tudo é hierarquizado e faz parte de um esquema evolutivo.

myspace layouts, myspace codes, glitter graphics